Aleatoriedades #2

Este mês não assisti a nenhum filme novo interessante (odiei 007 tanto que comecei a achar o Daniel Craig feio), só velharada. Então, é isso o que tem pra hoje – e mais outras coisinhas.

  • Série: The Newsroom – HBO

https://i1.wp.com/images2.wikia.nocookie.net/__cb20120418201734/thenewsroom/images/7/7a/The_newsroom_hbo.png

Com a absurda nota 8.7 no IMDB, The Newsroom faz jus a cada um dos décimos que a compõe. Ao se passar na redação de um jornal televisivo, a série nos transporta a momentos-chave da recente história mundial e americana vistos do ponto de vista de jornalistas enlouquecidos que trabalham para colocar a notícia no ar – sempre em caráter de urgência -, ao mesmo tempo que explora os dramas pessoais dos personagens, de maneira bastante cômica. Uma nova favorita que somente voltará a ser transmitida em junho de 2013. A espera será longa, mas jamais tão longa quanto à abertura do show. Pra quem se interessa por jornalismo, política, história ou simplesmente por boas tiradas.

  • Teatro: Aqueles dois – adaptação de conto homônimo de Caio Fernando Abreu pela Cia. Luna Lunera ★★★★★

https://chegadelirismo.files.wordpress.com/2012/12/aquelesdois_lunalunera2_shirleyfraguas_300dpieditada1.jpg?w=300

Montada num cenário simples que serve, ao mesmo tempo, de casa, festa e trabalho, a peça se desenrola com um enredo pouco usual – resultado da descontrução da narrativa linear traçada por Caio Fernando Abreu em seu conto. Os quatro atores são, ao mesmo tempo, os dois protagonistas e todos os figurantes que aparecerão com o decorrer da história. Eles se mesclam e se confundem, tornando impossível para o espectador separá-los um do outro. Ao meu entender, esse “truque” serviu muito bem para mostrar a aproximação deles e para se afastar da forma tradicional de exploração das histórias de amor.

  • Livro: diabolô – Nilton Resende ★★★★

Pego-me na responsabilidade de falar de um livro de alguém que conheço e de quem gosto bastante, o que me deixa especialmente nervosa. Como primeiro livro de contos de um escritor anteriormente ligado à poesia, diabolô é o encontro desses dois mundos, colidindo com força e resultando numa obra visceral. A Ceia, conto que abre o livro, já foi traduzido para o espanhol e pode ser lido na aqui.

  • Livro: O Mito de Sísifo – Albert Camus ★★★

Primeiro ensaio que leio do Albert Camus e que, na minha humilde opinião, ou precisa de uma tradução melhor ou ficou atrás dos romances dele. A ideia central é introduzir o pensamento absurdo, inserindo-o em vários campos da vida – no amor, no trabalho, no lazer, etc, – tomando por base o mito de Sísifo. Resumão: Sísifo desafiou os deuses e foi condenado a empurrar uma pedra enorme até o topo de uma montanha para, quando chegasse lá, deixasse-a rolar até a base novamente. Traçando o paralelo entre esse mito e a filosofia existencialista, Camus quis ilustrar o sentimento humano de inutilidade da existência e o papel do suicídio. Vivemos empurrando pedras morro acima, mas, no fim, as assistiremos rolar abaixo com nossas caras de tacho, levando com elas todo o nosso inútil esforço. Seria, portanto, o suicídio a saída lógica? Para a minha felicidade numa noite especialmente triste, ele conclui que não e continua a tagarelar.

Mas o que significa a vida em semelhante universo? Por ora, apenas a indiferença pelo futuro e a paixão de esgotar tudo o que é dado. – O Mito de Sísifo, Albert Camus

  • App: The XX ★★★

Pra quem é fã da banda The XX e quer acompanhar o desenrolar do novo álbum, Coexist, através de novidades da tour, clipes, versões das músicas, etc. Aliás, o segundo álbum dos queridos músicos pálidos conseguiu manter o nível do primeiro, pra alegria da maluca aqui.

  • Filmes: Melancholia – Lars von Trier ★★★★★

https://i1.wp.com/www.fxguide.com/wp-content/uploads/2011/12/Melancholia2.jpg

Tô tão atrasada que deveria ter vergonha de colocar esse filme aqui, mas sou cara de pau mesmo e tenho algo a dizer: com declarações nazistas ou não, Lars von Trier ganhou um pedacinho de mim (acabei de ficar ainda mais cara de pau). Apesar do meu nervoso por câmeras soltas, a forma como o sentimento de finitude é elaborado nesse filme me prendeu até o momento final de colisão. E as imagens, uau, como num quadro pendurado num museu.

  • Filme: Pierrot le Fou – Godard ★★★

https://i0.wp.com/www.jonathanrosenbaum.com/wp-content/uploads/2010/01/pierrot-le-fou.jpg

Continuando a minha lenta tarefa de assistir a todos os filmes do Godard, fui parar em Pierrot le Fou por indicação de um montão de gente. Ana Karina está linda como sempre, mas achei a história toda um pouco cansativa, non sense e me deu vontade de me mudar pra Côte d’Azur pra passar o dia andando de um lado pro outro na praia cantando “Qu’est-ce que je fais?”.

Anúncios

5 comentários em “Aleatoriedades #2

    1. Obrigada por compartilhar o meu texto, mas fiquei sem entender a pergunta que eu deveria responder.

      1. Obrigada pela resposta; a pergunta está no título do blog “futuro do livro” dedutiva, aqui vai ela completa: qual é o futuro do livro impresso? Será que ele acaba de vez um dia?

      2. Isso eu até entendi. Apenas achei que fosse alguma espécie de pesquisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s